Parabéns Lídia!

Neste mês voltamos a fazer uma escolha difícil. Entre o texto que nos transporta para um editorial de moda da Mónica Aragão, e a abordagem da Patrícia Batista à sua peça favorita, por fim, a motivação para a mudança do texto da Lídia Dias, foi uma disputa renhida. Por toda a envolvente e por tão bem expressar um sentimento que tantos experimentamos na transição para o outono, a escolha deste mês recaiu sobre o texto da Lídia Dias e por isso, muitos Parabéns!

Lídia Dias

Adoro o Verão. O sol, o calor, a leveza de um vestido de praia e a simplicidade de umas sandálias. A liberdade de reduzir nas peças, de absorver o sol, de destapar pernas, braços e pés, saboreando o doce vento de Agosto que passa pela pele como uma carícia.

Adoro o Verão, é verdade; mas é no início de Setembro, altura de regressos e recomeços, que reencontro a paixão pelas roupas. O fim do Verão é, para mim, uma altura de renovação: de traçarmos os nossos objectivos para um novo ano laboral, ou escolar, e de redescobrirmos a nossa identidade no campo da moda.

Começa lentamente com a chegada da nova colecção, quando exploro as texturas, as cores e os padrões que vão invadir as ruas quando a temperatura descer. Faço escolhas, decido quais são as tendências com as quais não me identifico, apaixono-me por outras. É nesta altura que, já perdida de amores pelos casacos, pelas botas e pelas lãs, amaldiçoo o sol que ainda teima em brilhar lá fora, sem ver a hora de estrear as novidades da próxima estação.

As colecções de Outono-Inverno são, sem dúvida, as minhas favoritas. Adoro a sobreposição de peças que o tempo mais frio facilita, os casacos oversized, elegantes e aconchegantes, as lãs que nos envolvem num abraço de conforto que torna mais fáceis até os dias mais cinzentos. Adoro caminhar em passos confiantes e decididos que só um novo par de botas nos dá e adoro regressar às écharpes, os lenços e os cachecóis, peças decisivas num look mais simples.

É na nova estação que se aproxima que reinvento a mulher que sou, em cada roupa que visto: mais elegante ou mais descontraída, no conforto da tendência oversized ou com um vestido mais clássico, desperto de novo a vontade de sobrepor, criar, misturar… E divertir-me com a moda, adaptando-a ao meu estilo de vida e personalidade, porque as maiores tendências não obedecem a estação ou época do ano: um grande sorriso e a boa dose de confiança que só “aquela” peça nos dá!

Resta-nos dar também congratular as outras participantes, por terem motivado uma competição tão renhida e por nos terem trazido textos tão interessantes e diferentes. O nosso muito obrigado! :)

Deixe um comentário