Os vestidos de França

 

Desde os meus quatro ou  cinco anos que me lembro daqueles vestidos que a minha mãe, outrora emigrante, me trazia de França: uns para levar aos casamentos que se  realizavam no mês de Agosto,  mês de férias dos que regressavam à nossa terra natal, e outros que serviam para me pavonear nas ruas da que é hoje cidade mas, que naquele tempo se intitulava de “Vila”. Esses vestidos, muito diferentes dos que cá se viam,  tinham uma etiqueta a dizer “La Redoute”, a qual mesmo sem ainda saber ler, eu conseguia identificar e, que para mim, dada a admiração que causava nas pessoas de cá, seria de uma marca muitíssimo importante!

Recordo os olhares um tanto ou quanto invejosos, das outras mães que cobiçavam os padrões amorosos e “fofos” dos meus vestidos.

Já era adolescente quando ouvi falar que também aqui se poderia efetuar compras por intermédio do catálogo da La Redoute.  As minhas primeiras compras foram realizadas por talão de encomenda e hoje, já com duas filhas adolescentes, continuamos a eleger o site para concretizar os nossos sonhos mais requintados, sempre com o intuito de continuar a causar boa impressão e a deixar as restantes mulheres curiosas: ”Mas onde é que elas compram peças tão giras e diferentes?!”

Tenho a certeza que tal como as minhas filhas herdam a boa educação, também herdarão este meu bom gosto pela “La Redoute”!

Continuo com a impressão que visto roupa vinda de Paris e espero continuar a fazer parte deste vosso projeto por muitos mais anos! Bem haja!

Texto de Sílvia Campelo | Leitora do Magazine de Tendências

Este texto é de exclusiva responsabilidade do seu autor.

1 Comentário

  1. Isilda Maria - 1 Julho, 2014

    La Redoute!!!???Eu sou Fã!!Vai para uns trinta anos que é a minha “loja ” de eleição.Qualidade, bons preços e uma variedade enorme de artigos para vestir toda a família.

    Ainda guardo roupa, que adquiri para os meus filhos desde o inicio do catálogo em Portugal, vai com certeza ser usada pelos meus netos, pois está totalmente actualizada e como nova.

Deixe um comentário