Como combater a flacidez depois dos 40

 

A conhecida flacidez é uma preocupação comum a partir dos 40 e é denominada, pela comunidade científica, de Sarcopénia – perda de massa muscular esquelética.

Este é um fenómeno natural que faz parte do envelhecimento fisiológico e, se não existir uma intervenção adequada e apropriada, pode ter impacto na qualidade do seu estilo de vida, por isso, fique bem atenta aos nossos conselhos e disfrute da vida no seu melhor!

324471592_0_CL_2_324471592-0fd5f3d1-e22e-4058-80f8-709698b26478

Estima-se que a partir dos 40 anos existe uma perda de 5% de massa muscular a cada 10 anos, sendo que a partir dos 65 anos a perda é bem mais significativa. Esta perda de massa muscular está relacionada com a diminuição da capacidade de contração do músculo enquanto se realiza determinada tarefa que nos impinge uma dada resistência (externa). Por exemplo, quando queremos transportar um objeto pesado.

Sarcopénia é uma palavra de origem grega: “perda de carne” (sarx = carne e penia = perda).

Sendo notório o aumento desta flacidez ao longo do tempo, isto é, a perda do tónus muscular, é importante perceber que existem alterações a nível das fibras musculares (Tipo I e II).
Porém, é notada alguma resistência a este fenómeno por parte das fibras tipo I (contração lenta), já as fibras do tipo II (contração rápida) estão sujeitas a uma diminuição da sua capacidade contrátil, ou seja, as contrações vão sendo cada vez mais lentas.

Um fator também determinante para o agravamento da Sarcopénia é a dieta alimentar. Com a idade o apetite vai diminuindo e a necessidade de restabelecer os níveis proteicos, tendo em conta a atividade diária, também vai diminuído dando-se então perda da massa muscular.

Uma vez que a Sarcopénia é inevitável na vida e havendo a necessidade da nossa parte de nos adaptarmos às dificuldades que poderão advir deste fenómeno, é imprescindível atenuar/reduzir a perda desta massa muscular. Para isso a prática de exercício físico é a solução mais eficaz.

324518004_1_CO_3_57-7404_M0004647_Fu
324477263_1_CO_2_17-0204_M0004016_Ba

Assim, para contrariar esta perda da massa muscular deve existir um estímulo de ganho, ou seja, o treino deve seguir uma ótica de Hipertrofia e também de Resistência.

Esta aquisição de massa muscular é necessária para retardar a sua perda, promovendo-se assim um menor impacto sobre a sua qualidade de vida. Os ganhos são evidentes: menor número de quedas, aumento da mobilidade e independência.

Glossário:

Sarcopénia: perda de massa muscular esquelética.

Fibras Tipo I: contração lenta, vermelhas. O seu metabolismo é predominantemente aeróbico, permitindo esforços longos.

Fibras Tipo II: contração rápida, brancas. O seu metabolismo é predominantemente anaeróbio, permitindo contrações rápidas e explosivas.

Hipertrofia: processo de treino para ganho da massa muscular

Vasco Ensinas
Personal Trainer Holmes Place Algés

Deixe um comentário