Alguém esteve sempre atento

 

Entrei no mundo das compras por catálogo com a Vertbaudet, quando a minha filha, hoje com 17 anos, era ainda pequenina. Penso que a Vertbaudet também era recente em Portugal.

Helena Lopes
Graças à qualidade das roupas, a relação qualidade/preço, e aqueles vestidos lindos! … Confesso que a minha filha tinha mais roupa do que realmente precisava… Mas era a primeira e única filha! Além do mais, quis que ela vivesse o sonho de infância que eu não vivi! O sonho de todas as meninas… O sonho de ter roupas lindas, roupas novas, roupas diferentes… Colocar-se em frente ao espelho a rodar os vestidinhos, até quase cair com tonturas!

Quando se cresce a vestir as roupas usadas da irmã, seis anos mais velha, quase sem saber o que era o prazer de “estrear” uma roupa, quando todos os meses de Agosto, chegavam à terra as “francesas”, como eram conhecidas as filhas dos emigrantes em França, a desfilarem as suas roupas “diferentes”, os seus cortes de cabelo “atrevidos”, era como se me tornasse invisível, e então sonhava…. Sonhava um dia também eu ter roupas da moda, um roupeiro cheio! Um sonho que permiti à minha filha viver desde a sua infância, com a grande ajuda da Vertbaudet.

Entretanto veio o mano e as compras continuaram, ainda para mais com aquelas ofertas que eles adoravam! Os anos passaram, e os meus filhos deixaram de ter idade para as roupas da Vertbaudet, mas alguém estava atento! Comecei a receber o catálogo da La Redoute e as compras passaram a ser para toda a família… E para a casa! E o meu sonho também foi realizado!

Um dia vou à caixa do correio e… A sério!? Um catálogo da Daxon? Pois é! Eu não me apercebi, mas os anos continuaram a passar… E alguém continuou atento!

E alguém vai continuar a viver o sonho da moda!!

Texto de Helena Lopes | Leitora do Magazine de Tendências

Este texto é de exclusiva responsabilidade do seu autor.

Deixe um comentário